“2019 SERÁ UM ANO DE DESAFIOS PARA O TURISMO DO ALGARVE”

30/01/2019

Crescer em valor e consolidar a perceção da qualidade diferenciada da oferta da região face aos principais destinos concorrentes são alguns dos principais objetivos para este ano. 

 

Num ano que se espera de desafios, dada a conjuntura de mudança que o turismo no mediterrâneo atravessa, o principal esforço do Algarve passa por consolidar a perceção da qualidade diferenciada deste destino, por parte dos turistas, em relação aos principais destinos concorrentes. 

 

Temos que continuar a crescer em valor, em vez de sermos conduzidos para uma competição pelo preço, nomeadamente, com destinos como a Tunísia, o Egito ou a Turquia”, explica João Fernandes, presidente da Associação Turismo do Algarve (ATA), a agência responsável pela promoção turística da região junto dos mercados externos. “Dado o posicionamento que temos vindo a construir em torno da qualidade, da riqueza e do carácter diferenciador da nossa oferta, e tendo em conta o reconhecimento internacional crescente que temos vindo a granjear, a nossa estratégia consiste em tornar a experiência de quem nos visita cada vez mais rica, mais autêntica e mais emocional. E estamos a fazê-lo, com sucesso, através de uma maior integração e interação dos nossos turistas com a vida local”, refere.

 

Neste contexto, a ATA irá intensificar o esforço de captação de um segmento médio/alto, com poder de compra, apreciador de um turismo mais sustentável e menos sensível ao fator preço.

2019 será ainda um ano para precaver e minimizar os impactos de situações que têm vindo a interferir no turismo da região como a reemergência de destinos concorrentes ou o Brexit. “Acreditamos que as principais consequências destes fenómenos se venham a refletir verdadeiramente em 2020, pelo que durante este ano estaremos focados em encontrar soluções e alternativas que contribuam para o desenvolvimento sustentável do turismo do Algarve. É com agrado que constatamos que todo o setor está mobilizado para este esforço de combate e de adaptação que será necessário empreender face a esta nova realidade”, declara João Fernandes. 

 

A estratégia de promoção que a ATA tem vindo a seguir, assente na diversificação e na conjugação de mercados tradicionais, com novos mercados e mercados de aposta terá a sua continuidade assegurada. “No que diz respeito aos mercados tradicionais, iremos obviamente capitalizar a fidelização dos turistas do Reino Unido ao Algarve, potenciando o seu vínculo emocional à região e o passa-palavra daqueles que nos visitam. A nossa atuação visa transformar visitantes pontuais ou regulares em verdadeiros embaixadores do destino”, avança o presidente da ATA. “Simultaneamente, estamos a trabalhar no reforço das ligações aéreas e ações promocionais em países como a França e Itália, que nos últimos anos têm registado um aumento contínuo e significativo de turistas e de residentes na região, revelando um potencial de crescimento muito interessante. Por outro lado, teremos uma clara aposta em mercados que possam contribuir para o desenvolvimento sustentado da região, na medida em que visitam o Algarve fora da época alta: é o caso de países como a Suécia e a Dinamarca que, fruto da dinamização do produto Golfe e da recente criação de novas ligações diretas a Faro, são mercados muito apetecíveis para a promoção de visitas à região durante o inverno. A estes países juntam-se ainda o Brasil, EUA e Canadá, cuja curiosidade em torno do Algarve está a aumentar consideravelmente, nomeadamente face a produtos como a gastronomia, a cultura e o turismo de natureza”, descreve João Fernandes.

 

Também o turismo residencial será alvo de um apoio mais atento, na medida em que este segmento tem vindo a aumentar, contribuindo, de forma significativa, para a promoção da diversidade regional.